Equipamentos, significados e concepções de lindeza 1
Beleza

Equipamentos, significados e concepções de lindeza

A graça foi estabelecida e valorizada na população no passado e continua sendo hoje. Contudo, a explicação de beldade evoluiu ao longo dos séculos. Ele evoluiu para adicionar instrumentos, significados e concepções de beleza. Para aprender a origem da boniteza, é útil perceber tua história. No século XVI, um médico parisiense, Jean Liebault, acreditava que uma mulher ideal deveria ter bochechas pálidas e covinhas, um queixo duplo e olhos grandes. Além do mais, os cabelos ruivos estavam fora de cena e as mulheres deveriam ter orelhas e dentes menores.

Concepções de graça

As concepções de beleza se referem a valores estéticos em arte, música e literatura. Eles não são universalmente aplicáveis. Porém, eles são capazes de servir como ponto de partida para a conversa de qualidades estéticas. Muitos filósofos lembraram diferentes definições de formosura, com diferentes graus de relevância. Por exemplo, uma descrição enfatiza o valor da unidade, no tempo em que outra enfatiza a relevância da cor e da simetria.

As concepções de beleza foram contestadas há séculos. Tradicionalmente, a beldade tem sido associada ao sujeito feminino perfeito. No entanto nas sociedades do século XX, a formosura se enredou com política e comércio e com manifestações concretas de opressão. Também, a beldade tornou-se um instrumento de crítica moral e destruição direta. Como consequência, a graça passou a estar associada à estética do capitalismo. A título de exemplo, a amplo arte era frequentemente dedicada a fornecer as casas dos ricos, escondendo a aflição e o desgosto que os ricos sofreram pela existência real.

As concepções de graça também refletiam as crenças dos filósofos gregos antigos. O filósofo grego Platão defendia uma subida da meio ambiente sensual em direção a um carinho excelente. As visões platônicas da lindeza são, contudo, inadequadas para esclarecer concepções interessantes de beldade.

Significados de boniteza

Em contextos pós-coloniais, o motivo da formosura assume um novo motivo. Reflete o papel da auto-estilização, principalmente para elites não brancas. Esses indivíduos fazem uso terapias de graça e cosméticos como estratégias de enfrentamento contra o racismo e a desigualdade social. Este post baseia-se no trabalho de campo etnográfico no Brasil, África do Sul e Jamaica para perceber como as práticas de boniteza funcionam em comunidades não brancas.

Nos tempos antigos, a beleza era estabelecida em termos de concordância correta de partes. Esse conceito foi pensado ainda mais pela filosofia pitagórica, que procurou reunir todo o ser de uma maneira impecável. A arquitetura grega antiga incorporou a beleza e é conhecida por tua simetria. É bem como material de pinturas famosas de Sandro Botticelli, que pintou o nascimento de Vênus.

Pela população contemporânea, a lindeza é instituída como a combinação de qualidades que agradam os olhos e os sentidos estéticos. Alguns aspectos da formosura são baseados em idade, sexo, raça e cor. Outros aspectos da lindeza são influenciados pela cultura popular.

Objetos de graça

Materiais de graça são equipamentos bonitos e úteis. Seja uma tesoura que elimina o cabelo de uma mulher ou um par de cílios falsos escuros, os instrumentos de graça têm o poder de ser encantadores e modificar a maneira como uma mulher olha e caminha. Este livro é um observar atencioso no que significa ser belo.

O livro não deixa de ter suas falhas. Falta uma heroína de carne e sangue, e seu narrador é só minimamente imprescindível. Daniel Franks, um crítico de arte e um velho companheiro de Lacey, é um personagem sem graça que inclui insuficiente à história. Apesar da falta de uma heroína de carne e sangue neste romance, “Materiais de beldade” se sai muito bem sem os olhos e consciência extras de Daniel.